Otonifonias Op. 56

Joly Braga Santos (1924-1988)

Ref. ava100554

Otonifonias Op. 56

Música para Instrumentos de Sopro e Percussão


Notas da Edição


Sobre a Obra


Música para Instrumentos de Sopro e Percussão resultou de uma encomenda da década de 1970, pós revolução de 1974, pela Secretaria de Estado da Cultura, na pessoa do seu encarregado da divisão de música, o arquitecto Romeu Pinto da Silva. Enquadra-se num conjunto várias encomendas feitas a compositores portugueses reconhecidos, para a formação instrumental de banda filarmónica, com o objectivo de aumentar a qualidade do repertório destas formações e alargar os horizontes culturais e artísticos dos seus públicos dedicados. 


Romeu Pinto da Silva foi aconselhado por Silva Dionísio, na altura chefe da Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana, ao tempo a banda militar com mais projecção. Terá sido ele o responsável pelas indicações técnicas para os compositores nomeadamente a constituição instrumental, com base no que seria comum a uma banda amadora da época.  


Notas Gerais


A presente edição foi elaborada a partir de cópia do manuscrito autógrafo do compositor, sob autorização gentilmente concedida ao Dr. André Granjo pela família, para fins de investigação académica, incluindo gravação sonora. Não está autorizada a sua utilização para fins comerciais, nem para outros que não os acima mencionados. 


Algumas dúvidas surgiram relativamente à atribuição do nome à obra, visto que o manuscrito apresenta-se sob o título “Música para Instrumentos de Sopro e Percussão”, mas a pasta onde se encontra apresenta o título “Otonifonias”, também usado num programa de concerto da Banda da Armada portuguesa, provavelmente de Fevereiro de 1978, que refere a obra como a primeira de um conjunto de seis suites de quatro andamentos cada, com graus progressivos de dificuldade. Também a família do compositor adopta o título de “Otonifonias”. O facto desta suite se apresentar com cinco andamentos, dos quais um – Nocturno – tem data posterior e tem uma instrumentação diferente leva a crer que poderia ser já um dos andamentos de uma segunda suite. Apesar destas considerações, e tendo como critério a fidelidade ao manuscrito original, a edição faz-se sob o título “Música para Instrumentos de Sopro e Percussão”. 


Créditos 


Revisão e Edição - André Granjo e Luís Cardoso

Fermentelos, 9 de Maio de 2010




São fornecidas as seguintes partes:

2 x Flautim + 4 x Flautas + 2 x Oboé + 2 x Clarinete em Mib (Requinta) + 6 x 1º Clarinete + 6 x 2º Clarinete + 6 x 3º Clarinete + 2 x Clarinete Alto em Mib* + 2 x Clarinete Baixo + 2 x Saxofone Soprano + 6 x Saxofone Alto + 4 x Saxofone Tenor + 2 x Saxofone Barítono + 2 x Fagote + 3 x 1º Trompete + 3 x 2º Trompete + 3 x 3º Trompete + 2 x Trompas em Fá e Mib ** + 2 x Trombones *** + 2 x cada Eufónio (Bombardino) em Dó e Sib nas claves de Sol e Fá + 2 x Tuba em Dó, clave de Fá + 4 x Tuba em Sib, clave de Sol + 2 x Contrabaixo em Mib + 2 x Contrabaixo de Cordas * + 2 x cada parte de Percussão *.


* 2 x cada parte, se/ou escrita pelo compositor.

** Depende das obras, se o compositor escreveu para 2 ou 4 Trompas, sempre 2 partes de cada.

*** 2 x cada parte. Dependendo das obras, também trombone baixo.




De modo a tornar acessível a todos a compra desta obra, 

na opção de compra “Partitura completa impressa e partes cavas em pdf”

serão enviadas as partes em PDF personalizadas com a indicação 

"uso exclusivo da entidade que adquiriu a obra".