Relembrando Mário de Sampayo Ribeiro

Gil Miranda

Ref. ava110665

Relembrando Mário de Sampayo Ribeiro

 

NOTA PRELIMINAR

Ao escrever sobre alguma figura marcante do passado, o papel do autor é o de transmissor paciente de coisas que em propriedade lhe não pertencem. Assemelha-se ele, até certo ponto, ao parasita, cuja vida depende da vida do hóspede a que se ligou - com uma diferença: a de saber que tal vida verdadeiramente não é sua, e, ao aceitá-la, e transmiti-la, executa um mandato essencial.

E porque, para tal, invariavelmente, necessita da colaboração de outrem, é com prazer que consigno aqui a minha dívida de gratidão a: Gonçalo Maria de Sampayo Ribeiro, filho do musicólogo, que foi incansável na facultação de dados ao seu alcance, e leu o texto preliminar do manuscrito; Dr.ª Fernanda Sampayo, sobrinha do musicólogo, que forneceu os dados relativos aos irmãos dele, Alice e Fernando; Drª. Françoise Le Cunf, do Arquivo Histórico da Educação, que facilitou enormemente a consulta dos dados sob sua guarda; Helena Celestino da Costa, pela obtenção de alguns contactos, e de uma fonte valiosa; Gerhard Doderer e Adriana Latino, da Universidade Nova de Lisboa, pela leitura e revisão cuidadosa do manuscrito; Manuel Pedro Ferreira, da mesma universidade, e Janine Hilton de Moura, por observações pontuais de valor; finalmente, Armando Santiago; e o pessoal de Widener Library, da Universidade de Harvard, e de Mudd Library, de Oberlin College, que me facultaram espécies bibliográficas essenciais ao meu trabalho.